Da amamentação exclusiva à introdução de alimentos para o bebê: Por onde começar?

BCU Brasil - dúvidas sobre amamentaçãoA maternidade impõe uma série de dúvidas para todas as mães, em especial para as de primeira viagem, com relação à alimentação ideal para os recém-nascidos. As campanhas de estímulo à amamentação exclusiva são muito amplas no Brasil, mas as dúvidas sempre surgem quando a mãe observa que nem todas as pessoas seguem essa linha de orientação.  É muito comum encontrar casos ou ouvir de algumas pessoas durante essa fase: Nossa, mas você só dá o peito? Nem mesmo um suco?

Mas será que o suco é mesmo inofensivo nesses primeiros meses de vida?  Existe uma série de dúvidas e desencontros de informações que podem confundir a mãe neste momento tão especial e delicado na vida de seu bebê, por isso é importante estar atento aos detalhes de cada fase do recém-nascido. Mas tenha a certeza de uma coisa, nada é mais completo do que o leite materno.

A importância da amamentação exclusiva até o sexto mês de vida

“Só leite materno contém todos os nutrientes, água e anticorpos que o bebê vai precisar durante este período de vida (seis meses). É um “mal” (introdução de outro leite) necessário, pois é preciso nutrir. Então, o benefício da sobrevivência supera as outras inadequações que só encontraríamos no leite materno.”, afirma a nutricionista Kelly Cristina de Moura Bombem, mestre em nutrição em saúde pública pela USP. E este é um consenso entre os profissionais da saúde, a alimentação exclusiva com leite materno até os seis meses de idade é o que um bebê precisa para adquirir todos os nutrientes necessários para manter o equilíbrio do peso e de nutrientes para seu desenvolvimento.

As vantagens da amamentação exclusiva vão muito além da nutrição da criança. Na maternidade o momento de dar de mamar é muito importante para o processo de aproximação entre mãe e filho: “Carinho, afeto, cuidado e integração no relacionamento mãe e filho, que só na amamentação conseguimos”, completa a Dra.Kelly Bombem. É um momento único de aproximação e construção da relação emocional do filho com sua mãe, que vê nela a pessoa mais importante da sua vida.

Além disso, a amamentação exclusiva feita de maneira regular é uma forma de desenvolver a musculatura e também auxiliar a prevenir uma série de doenças que podem ocorrer devido à baixa imunidade de um recém-nascido. A residente em pediatria Mayara Satsuki Kunii lista alguns motivos que faz o leite materno essencial para a saúde do bebê:

  • O leite materno apresenta os nutrientes adequados para o desenvolvimento da criança (as proteínas são mais facilmente digeridas que as do leite de vaca, por exemplo). Além disso, não há excesso do aporte calórico: o leite de vaca contém mais calorias, predispondo a problemas como obesidade ou diabetes no futuro;
  • É meio de oferta de imunoglobulinas maternas para o filho, que são componentes do sistema imunológico (sistema de defesa do organismo);
  • Diminui o risco de infecções, como diarréia, otite e pneumonia;
  • Alimento sem custo, sem o risco de contaminação que existe no preparo de outros leites;
  • Mamar fortalece os músculos da face da criança, facilitando o desenvolvimento da fala e prevenindo problemas de deglutição.

Quando introduzir alimentos para o bebê

Após os primeiros seis meses de vida, a mãe já pode se preocupar em introduzir de forma gradativa alguns alimentos na dieta de seus filhos. Neste momento começa a surgir uma série de dúvidas sobre quais ingredientes usar, e como substituir o leite materno por porções saudáveis de alimentos de forma adequada.

Não adianta manter o bebê nutrido de maneira correta nos primeiros meses de vida e depois não acompanhar a qualidade dos alimentos que serão apresentados à criança no período de transição para diversos alimentos. Vale lembrar que hábitos saudáveis podem ser introduzidos à rotina do bebê já no primeiro ano de vida, e que eles serão levados por toda a vida. Então, para que isso aconteça é bom que se faça uma seleção com ingredientes adequados para o complemento dos nutrientes importantes para o crescimento e adaptação do paladar e sistema digestivo da criança.  “É nesta idade que já podemos ir desenvolvendo os bons hábitos. A substituição das mamadas nos horários do meio da manhã e meio da tarde deve ser feito por frutas. Pode ser qualquer tipo de fruta, de preferência, orgânica”, enfatiza a Dra. Bombem.

A lista de bons alimentos começa por purês amassados, como banana, mamão e maçã, se bem aceitos pela criança, na substituição de um horário de mamada ainda nas primeiras tentativas, a mãe pode complementar com sucos naturais, dando preferência para frutas menos ácidas como a laranja lima, por exemplo.

Os alimentos salgados passam a ser necessários após a adaptação do bebê com outras texturas de alimentos. Condimentos em excesso, como sal ou temperos artificiais são dispensáveis. Quanto mais contato com alimentos naturais, melhor será o desenvolvimento do paladar para hábitos saudáveis. Selecionamos uma receita simples de purê salgado com os nutrientes necessários para a alimentação de crianças de até um ano:

No purê salgado pode conter:

– 1 ou 2 cereais (arroz, quinoa, macarrão, soja, feijão)

– 1 folha (couve, escarola, espinafre)

– 1 proteína (carne ou frango ou ovo) – Nutricionistas recomendam peixes a partir de 1 ano de vida.

– 1 legume: (cenoura, abobrinha)

– ½ colher (de café) de sal depois da papa pronta.

 

Você pode acrescentar ainda:

– 1 tubérculo: (mandioca, mandioquinha, inhame, batata)

– 1 crucífera (brócolis, couve-flor, repolho).

 

A transição do leite materno para outros alimentos precisa ser um processo gradativo para que seu filho não apresente dificuldades na adaptação durante a digestão dos alimentos, servindo para que os pais observem logo no início se a criança apresenta reação alérgica a algum alimento.

Mesmo tendo sido alimentado somente com o peito até os seis meses, a Organização Mundial da Saúde recomenda o leite materno na alimentação infantil até dois anos de idade ou mais, pois este é sem dúvida, o alimento mais completo para o desenvolvimento do seu bebê.

 

 

Voltar