Células-tronco

Home > Células-tronco

O que são células-tronco?

É um riquíssimo material capaz de se dividir e dar origem a outras células semelhantes, ou seja, elas têm um potencial incrível de regeneração.

As células-tronco do cordão umbilical são consideradas células adultas, são as mesmas encontradas na medula óssea, na gordura, na polpa do dente e em outras partes do corpo. Entretanto, as que estão presentes no cordão umbilical são consideradas puras, ou seja, não sofreram interferência do ambiente externo, como medicamentos, poluição, etc.

A única maneira de coletar as células-tronco do cordão umbilical é na hora do parto, para que elas possam ser armazenadas tanto em bancos privados, como é o caso do BCU Brasil, ou doadas para os bancos públicos.

É um material riquíssimo com propriedades terapêuticas comprovadas, por isso é importante nunca desprezar as células-tronco do cordão umbilical, pois ela pode salvar vidas. Já são mais de 80 doenças, entre alguns tipos de câncer (leucemia e linfomas), anemia falciforme, talassemia, e outras que podem ser tratadas com as células-tronco.

Diferença entre células-tronco embrionárias e células-tronco adultas

As células-tronco embrionárias têm a capacidade de se transformar em células adultas. São conhecidas como pluripotentes. Entretanto, as regras de pesquisas e utilizações desse material variam de país para país, alguns até proíbem as pesquisas por conta de sua polêmica religiosa e ética, já que são oriundas da fertilização em laboratório. Afinal, as mesmas são localizadas em embriões após 4 ou 5 dias após ter sido fecundado.

Já as células-tronco adultas, como já dissemos, são as encontradas no corpo humano. Elas têm um potencial terapêutico incrível, pois podem se dividir e, a partir daí, se multiplicar em outras células. Atualmente, elas são usadas com frequência no tratamento de doenças relacionadas ao sangue. São as chamadas células-tronco hematopoiéticas.

Há também as células-tronco mesenquimais, essas são encontradas no tecido do cordão umbilical e na medula óssea e atualmente estão entre as mais estudadas por pesquisadores principalmente em relação à regeneração de tecidos.

Ou seja, independente das células-tronco mesenquimais ou hematopoiéticas, a medicina tem avançado muito nas pesquisas celular, atualmente mais de 200 doenças estão sendo estudadas com resultados promissores.

Por isso é importante não desperdiçar esse material riquíssimo, que têm propriedades terapêuticas essenciais e podem salvar vidas. E em um futuro próximo, certamente, poderão ajudar em centenas de novos tratamentos, trazendo esperança e novas possibilidades médicas para a sociedade.